Nacional

Publicidade

Nacional

Nyusi recebe enviada especial do seu homólogo da Indonésia

O Chefe do Estado moçambicano,  recebeu, em Maputo, a enviada especial do Presidente da Indonésia, Joko Widodo, a ministra dos Negócios Estrangeiro e Cooperação daquele país asiático, Retno Lestari Priansari Marsudi
©
Em declarações à imprensa no final do encontro com o Presidente da República, Retno Marsudi, disse que a Indonésia possui uma forte experiência em processos de industrialização, principalmente no sector agrário, e que pode ser partilhado com Moçambique.
"A agricultura é uma área com forte potencial para ser desenvolvida em Moçambique e nós podemos colaborar, como país, em pelo menos dois itens, concretamente nas estratégias de industrialização e na capacitação de mão-de-obra", afirmou.
"Eu trago comigo uma delegação de empresários que querem conhecer o país, porque o que nós vemos é que este país tem potencial", sustentou a ministra, que considera que nos próximos anos África será um dos principais pilares da economia indonésia.
A governante indonésia disse que o seu país pode oferecer a sua experiência na industria ferroviária fornecendo comboios para facilitar a circulação de pessoas, bens e mercadorias.

Sobre o sector dos transportes, disse que a Indonésia deseja apoiar Moçambique a apostar nas ligações ferro-portuárias, vitais para o desenvolvimento da economia.
No âmbito da sua visita de trabalho de dois dias ao país, além do encontro com o Presidente Nyusi, a ministra dos Negócios Estrangeiro e Cooperação foi recebida em audiência pelo Primeiro-ministro moçambicano (PM), Carlos Agostinho do Rosário, após ter participado no Fórum de Negócios Moçambique-Indonésia, organizado pela Confederação Empresarial das Associações Económicas de Moçambique (CTA).

Sobre o encontro com o PM, Retno Marsudi disse a imprensa, que, além dos sectores referidos, a Indonésia traz oportunidades para Moçambique, sobretudo nas áreas de pesca, infra-estruturas e ferro-portuária.

"Além de hidrocarbonetos, segurança alimentar, discuti com o Primeiro-ministro a relação que devemos ter no sector agrário", acrescentou.


Sobre a supressão de vistos, a chefe da diplomacia da Indonésia disse que "estamos ainda a trabalhar no sentido de facilitar os vistos".
Dados da Embaixada da Indonésia em Moçambique indicam que, só em 2015, aquele país asiático investiu cerca de 180 milhões de dólares na área dos hidrocarbonetos, com destaque para o gás natural, através das empresas Besmindo Pemba Semesta, na base logística de Pemba, na província de Cabo Delgado, norte do país, e a Buzi Hydrocarbons Pte Ltd, na província central de Sofala.