Nacional

Publicidade

Nacional

Isaura Nyusi, reafirmou o compromisso da luta contra o cancro

A Primeira Dama da República, Isaura Nyusi, reafirmou o compromisso do seu gabinete de continuar a envidar esforços para acabar com os inúmeros episódios de morte por cancro em Moçambique, doença que pode ser prevenida até curada quando diagnosticada atempadamente.
©
A renovação do compromisso está contida na mensagem emitida pelo Gabinete da Esposa do Presidente da República, , por ocasião do Dia Mundial de Luta Contra o Cancro, que hoje se assinala, e constitui momento para reflexão, debate e mobilização de toda a sociedade, no sentido de fazer parte da luta contra a doença, que continua a semear luto no país e no mundo.


Segundo um comunicado de imprensa a que a AIM teve acesso, tanto em Moçambique bem como nos outros países africanos, regista-se um aumento do número de casos de cancro, em particular de cancro do colo do útero, mama, próstata, Sarcoma de Kaposi e linfomas, situação agravada pelo peso do HIV/SIDA.


Na tentativa de reverter a tendência, desde 2010, o país tem estado a levar a cabo campanhas de sensibilização e consciencialização sobre o cancro, tendo como foco as camadas mais desfavorecidas.
No pacote de acções figuram medidas que incluem, para além de palestras, feiras de saúde, debates televisivos, massificação de rastreio de diferentes tipos de cancro, entre outras. 
“
Estas actividades têm sido promovidas pelo nosso Gabinete em parceria com o Ministério da Saúde, Associação de Luta Contra o Cancro e outros parceiros”, refere o comunicado.
Isaura Nyusi saúda, por outro lado, os avanços registados no rastreio do cancro do colo do útero e da mama e almeja que os mesmos progressos sejam alcançados nas outras formas da doença.



“Em meu nome pessoal e do meu gabinete, aproveito a oportunidade para saudar o incansável empenho do governo de Moçambique, da comunidade internacional, da sociedade civil e de todos os intervenientes nesta causa, pois o papel que desenvolvem é fundamental para a consciencialização sobre o cancro”, disse a Primeira-Dama.
A aliança é conducente a um diagnóstico precoce e um tratamento com sucesso levando à diminuição da mortalidade no país por esta doença.
Baseada na Carta de Paris, aprovada em Fevereiro de 2000, na Cimeira Mundial Contra o Cancro para o Novo Milénio, Isaura Nyusi apela à aliança entre os investigadores, profissionais de saúde, doentes, governos e parceiros da indústria no âmbito da prevenção e do tratamento do cancro.


fonte:AIM