Nacional

Publicidade

Nacional

Governo trabalha para arranque da cabotagem marítima no I semestre

O Governo garante continuar a criar condições para o início da cabotagem marítima ainda no presente semestre, com vista a reduzir as assimetrias do ponto de vista de competitividade e para trazer benefícios em termos de preços das mercadorias que chegam às populações.
©
A garantia foi dada hoje pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, numa conferência de imprensa realizada no âmbito da reunião de balanço das actividades do sector relativo a 2016, realizada em Maputo.
'As condições continuam a ser estabelecidas. Vamos ter, dentro de 10 dias, encontros com três empresas que já apresentaram as suas propostas, e estão a discutir com a Transmarítima para o desenvolvimento da cabotagem marítima", sublinhou.
A cabotagem é a navegação entre portos marítimos do mesmo país, sem perder a costa de vista, contrapondo-se à navegação de longo curso, realizada entre portos de diferentes nações.
"O início da cabotagem vai fazer com que se alavanque, também, a reabilitação de alguns portos secundários e terciários e que terá implicações directas no desenvolvimento local, em termos de produção agrícola e, até, acrescentar valor a essa produção, na perspectiva de se fazer aconchego das cargas e paletização. Isso cria valor acrescentado para os próprios locais e depois o embarque", disse.
Mesquita fez ainda uma radiografia do sector portuário, no geral, tendo dito que continua-se a registar fluxo de mercadorias oriundo do país e da região.
Entretanto, disse que alguns corredores registaram a redução do volume de carga, devido a situação macroeconómica do país, como do mundo, com a redução dos preços das "commodities" no mercado mundial, por exemplo.
"Mas estamos claros sobre passos concretos que temos que dar e, por isso, é que continuamos com vários programas de investimento nos portos", disse.
Mesquita mencionou como alguns desses investimentos o trabalho de dragagem do canal de acesso ao Porto de Maputo que, também, vai coincidir com a reabilitação de um ou dois cais. isto inclui os investimentos a serem feitos na aquisição de equipamentos adicionais para o manuseamento de mercadorias no Porto.
"Isso também se verifica no Porto da Beira e Nacala. O Porto de Nacala vai arrancar a fase I e III do projecto de reabilitação e a aquisição de equipamento moderno para as operações, tendo em consideração a reabilitação de infra-estruturas que vai acontecer", acrescentou.
A reunião de balanço das actividades do sector é alargada aos gestores dos institutos, empresas públicas do sector e aos quadros superiores do ministério. O objectivo é rever o grau de realização das actividades durante o ano 2016, bem como perspectivar as atribuições e programas de trabalho enquadrados no Programa Quinquenal do Governo 2015/19 e o Plano Económico e Social (PES) deste ano.


fonte:AIM