Economia

Publicidade

Economia

Banco de Moçambique introduz nova taxa de juro de referência

O Banco de Moçambique decidiu introduzir uma nova taxa de juro, com efeito a partir de 15 de Abril próximo, designada por taxa de política monetária, anunciou hoje o governador Rogério Zandamela.
©
Com a introdução desta nova taxa, pretende-se, segundo Zandamela, reforçar o mecanismo de formação das taxas de juro no mercado como um todo, e torná-lo mais transparente e consentâneo com as boas práticas internacionais.

Portanto, esta passará a ser a principal taxa de intervenção do Banco de Moçambique nos mercados interbancários.
Actualmente, existem duas taxas de referência, nomeadamente a de Facilidade Permanente de Depósito e de Cedência de Liquidez.
"Estas taxas continuarão. Vão coexistir com um novo modelo, mas estas vão formar o corredor em que a nova taxa de política monetária flutuará. A taxa não irá acima nem abaixo desse corredor amplo que é a de Depósito e de Cedência", explicou o Governador do Banco Central, que falava em conferência de imprensa havida, em Maputo, para dar a conhecer as principais decisões tomadas pelo Comité de Política Monetária (CPMO)


Garantiu que o Banco de Moçambique fará, diariamente, intervenções no mercado para assegurar a manutenção da nova taxa dentro dos parâmetros definidos pelo banco.
Outras decisões tomadas pelo CPMO incluem a introdução do princípio de taxa de câmbio de referência única, com efeito a partir de 3 de Abril próximo, que resulta da taxa de câmbio média aplicada pelos bancos nas operações com os seus clientes.


Nos finais de 2016, o Banco Central introduziu uma medida que obriga os bancos comerciais a reportar três vezes ao dia as suas taxas de câmbio.
"É assim que acompanhamos o que os bancos fazem no mercado cambial, ao longo do dia. Com esta informação, estaremos em condições de usar a média das taxas de operações dos bancos com os seus clientes para definir uma taxa única de câmbio do Banco de Moçambique", disse.
Hoje, se perguntam qual é a taxa de câmbio em Moçambique não haverá nenhuma resposta única. Em qualquer parte do mundo, a taxa é única, mas em Moçambique são vários números", referiu.


O Banco de Moçambique decidiu ainda revogar o limite anual de pagamentos no exterior com recurso ao cartão bancário internacional, seja débito ou crédito, actualmente fixado em 700 mil meticais (cerca de 10 mil dólares ao câmbio corrente) por pessoa.
O Governador explicou que a decisão deve-se a uma maior estabilidade cambial que se observa desde finais de 2016 e o reforço da confiança dos agentes económicos em relação ao futuro da taxa de câmbio e da economia, em geral.

O Banco de Moçambique também decidiu manter as taxas de juro da Facilidade Permanente de Cedência em 23,25 por cento, da Facilidade Permanente de Depósito em 16,25 por cento e o Coeficiente de Reservas Obrigatórias para as componentes em moedas nacional e estrangeira em 15,5 por cento.


fonte:AIM